top of page
  • Foto do escritorMarta Barbieri

Por que parar de comer carne?

Atualizado: 2 de ago. de 2023

A resposta para essa pergunta pode tornar o seu processo de transição alimentar mais fácil. Afinal, existem milhaaares de motivos (motivações) para deixarmos a carne fora do nosso prato e da nossa consciência.

imagem bezerro com um coração na testa deitado

Então vamos lá, se você está aqui é porque já ouviu algo sobre o consumo de carne que te chamou atenção. Ótimo, esse é o primeiro passo.


Aqui abordarei dois motivos centrais: a causa animal e a causa ambiental. No entanto, lembre-se que há muitos outros motivos, um muito importante é o da saúde que citarei brevemente abaixo. Mas fique tranquilo(a), compreender apenas um desses motivos, se este te tocar fundo no coração e na alma será o suficiente para iniciar uma das mais lindas transformações que começa felizmente com a conscientização e infelizmente com a ponta do iceberg (ou o iceberg inteiro já que falaremos de crise climática) que é o incômodo.


Bora enxergar as coisas de outra forma?


Deixa eu compartilhar com vocês o meu processo de mudança. Foi árduo, mas valeu muito a pena, então vem, com ou sem medo, só vem, pois lhe diz respeito.


CAUSA AMBIENTAL


Esse foi meu primeiro incômodo. Então lá estava eu me achando a sabe tudo ao dizer, em um encontro de família, que toda dieta tinha um impacto negativo, inclusive a vegetariana. Foi quando uma prima minha e, detalhe ela não faz ideia de que foi a primeira pessoa a plantar a sementinha da consciência em mim, então ela disse com toda naturalidade, contrariando minha afirmação que bem, era baseada em nada, sobre como a pecuária era um dos maiores causadores do efeito estufa e do aquecimento global.


Por que eu nunca tinha ouvido falar sobre isso antes? (O documentário Cowspiracy explica o por quê "não sabemos"). Pois bem, isso ficou na minha cabeça. Foi quando eu pensei que diminuir meu consumo de carne era necessário e talvez possível, afinal o meio ambiente sempre foi tema de meu interesse. Poxa eu tinha criado uma marca de moda sustentável.


Foi então que comecei a encontrar desculpas e brechas para continuar a comer carne. O quê? Parar de comer carne de vez? Impossível, quem sabe 1 vez ou 2 vezes, no máximo. Está se identificando?


Pois você já conheceu alguém que comia sangue frito com brilho nos olhos e pedia picanha no rodizio com gordura? Essa pessoa era eu. Impossível. Pensava, admiro muito as pessoas que conseguiam, mas eu? Nem morta, que ironia. Possivelmente até rolava os olhos quando alguém dizia que era vegetariano.


Foi então que comecei a assistir a alguns documentários sobre o tema e o qual recomendo muito que assistam, pois há embasamento técnico e cientifico neles. São eles: Cowspiracy, What the health, Seaspiracy (Netflix) e a Carne é fraca (Youtube).


Depois de assistir a esses documentários você passa a entender o porquê eu, nós não temos ciência do enorme impacto ambiental que é o consumo de carne e quão grande é essa ameaça ao planeta (e a quem descobre tudo isso). O que você descobre é que há um grande lobby por detrás disso. Como sempre dinheiro acima de tudo e todos. Eles não querem que você saiba da verdade!


Segue comigo. A população mundial cresceu exponencialmente nas últimas décadas e para "alimentar" essa galera toda com carne criou-se uma indústria gigantesca em que temos hoje no Brasil mais cabeças de gado do que gente. E onde vão colocar todo esse gado e as plantações de soja e milho para alimentar esses animais? Aí temos dois problemas,: 1) desmata-se, em uma sua maioria, de forma ilegal e 2) com tanto boi elimina-se uma quantidade enorme de metano (através do processo de digestão dos animais, chamado de fermentação entérica, o metano (CH4), principal gás de efeito estufa).


"Não é difícil imaginar as consequências. O gás metano produzido pelo gado tornou-se mais ameaçador para a natureza do que a poluição das grandes cidades. Você preserva mais o meio ambiente deixando de comer um bife do que deixando o carro na garagem para ir ao trabalho de bicicleta."... "Você economiza muito mais água do planeta deixando de comer um hamburguer do que deixando de lavar a frente da sua casa." (Meira, José Gabriel Bloise de. Por que parar de comer carne? 2.ed, 2019)

Segundo a ONU, o setor pecuário é o maior responsável pela erosão de solos e contaminação de mananciais e aquíferos do mundo. A ONU também estimou que 14,5% das emissões de gases do efeito estufa oriundas de atividade humanas têm origem no setor pecuário. A maior parte do desmatamento da Amazônia tem sua origem na produção de carnes, laticínios e ovos.


Parar de comer carne resolveria também grande parte do problema da fome no Brasil, uma vez que dois terços da soja cultivada é usada para fazer ração para os animais. Você imagina se essas plantações fossem usadas para produzir alimento para população carente?


E veja, alguns artigos vão querer te convencer que é possível comprar carne de empresas que garantem que seus pastos não são de terras desmatadas ilegalmente, mas ora, mesmo que isso fosse uma solução (não é por causa da quantidade de pessoas que precisam ser alimentadas) você só consegue resolver o problema da sua consciência e não do problema ambiental, uma vez que os animais continuarão a eliminar metano e agravar os efeitos estufa e o aquecimento global. E agora?


O resultado disso estamos vendo cada ano que passa com desastres naturais se intensificando e com maior frequência. No entanto, à crise climática e às mortes acreditamos que não temos nenhum dedo de culpa. A culpa é do prefeito que deixou construir casas nos morros, que não fez moradias para os mais pobres, a culpa é da seca que tem todo ano, a culpa é do S. Pedro que não dá trégua com a chuva. Será mesmo?


E foi assim que comecei a experimentar pela primeira vez ficar alguns dias sem comer carne, comecei com as segundas-feiras, depois fui além e tentei 5 dias de uma vez, fui muito ousada, não deu certo. Lembre-se que toda grande mudança tem que ser feita com calma, devagar. Então apareceu a cachorra pitbull no meu caminho, sem ela querer.


CAUSA ANIMAL


Esse foi meu segundo e último incômodo. Com certeza essa foi determinante para eu conseguir deixar as desculpas de lado, porque saber da cruel realidade da indústria animal tirou todo o meu chão e a minha esperança na humanidade.


Foi em 2019, no dia dos pais, que eu vi a crueldade humana de perto. Uma cachorra pitbull atropelada estirada na rua, ninguém prestando socorro, ela ainda conseguiu olhar pra mim pedindo ajuda nos seus últimos segundos de vida, sofrendo. Pedi ajuda ao guardinha da rua que disse que ela foi atropelada e o casal que presenciou não a socorreu também, pedi para tirá-la de lá do meio da rua, ele recusou com medo dela mordê-lo, detalhe, ela estava morrendo. Pedi para perguntar se alguém a conhecia no grupo da rua, nenhuma resposta. Morreu nos meus braços! Foi um dos piores dias da minha vida. Foi enterrada na fazenda de uma protetora da rua para um fim digno para todo o descaso que foi a sua triste morte.


Acabei entrando na causa animal por causa dela. Fiquei obsessiva com a ideia de encontrar seu (sua) dono (a) e avisar que ela tinha morrido. Não encontrei. Mas encontrei dezenas de protetores pedindo ajuda para inúmeros casos de abandono e maus tratos. Descobri que aquilo que eu passei nos dias dos pais ocorria to-do san-to di-a. Com os piores requintes cruéis que você imaginar.


Passei a enxergar os outros animais de outra maneira e conhecer a cruel indústria animal.


Veja bem eu tive o privilégio de passar a minha infância em sítios e fazendas. Nas fazendas eu via vacas e bois comendo grama sem nenhuma preocupação. Quando era para cruzar juntavam o touro junto às vacas e os bezerros nasciam assim da mais natural concepção possível só faltava ser à luz de velas. Só que quando você começa a descobrir o que acontece nas indústrias...


Você está pronto? Pronta? Seja corajoso(a) e continue lendo, vai valer a pena eu juro. Seu desconforto não é pior do que o que os animais vivem todo dia, isso eu te prometo.


Comecei minhas descobertas com as vacas leiteiras. Descobri que elas levavam uma vida miserável logo após nascer. Continue comigo. São separadas de suas mães dois dias após nascerem, são concebidas da forma mais monstruosa, amarradas e estupradas são "emprenhadas" todo ano. Passam grande parte da sua vida sem ver a luz do dia, de pé, com máquinas grudadas em suas tetas, as ferindo e as sangrando, com mastites e tetas tão grandes que não conseguem nem andar. Será que se eu não fosse mãe eu não teria me chocado? Vacas e bois vivem cerca de 20 anos, mas as vacas leiteiras só servem até no máximo 6 anos, depois disso são descartadas como lixo por todos os anos de "trabalho" (explorado) e prestado.


Para minha sorte havia inúmeras alternativas para esse leite que, além de ser manchado de todo requinte de maldade, descobri que fazia muito mal para a minha saúde, afinal o leite de vaca é pura água e gordura feito exclusivamente e personalizado para fazer crescer um bezerro (que vai se tornar um animal de 500 kg) e não um humano.


Você já pensou porque somos os únicos mamíferos que tomam leite após adultos? E não, os gatos não tomam leite como nos desenhos, se der (não dê) eles vão passar mal!


Já notou que quando você bebe leite ou derivados tem cólica, gases e muita acne? Essa é a forma como o nosso corpo tenta expelir algo que não está fazendo bem a ele, pois é tóxico.


Para entender como uma alimentação sem carne pode beneficiar a sua saúde selecionei alguns títulos que vale cada segundo extra que a sua vida vai ganhar se escolher lê-los, se escolher viver de forma mais saudável também.



Você sabe o que o que as cidades com maior número de pessoas centenárias têm em comum? Acho que já sabe a resposta. Sim, seus habitantes consomem pouquíssima senão, nenhuma carne.


Pesquisadores japoneses apontaram que a dieta vegetariana, onde não há o consumo de carne, aumenta, significativamente, a expectativa de vida.

De acordo com inúmeros estudos científicos, publicados por instituições idôneas, o consumo de carnes está diretamente associado ao risco aumentado de doenças crônicas e degenerativas como diabetes, obesidade, hipertensão e alguns tipos de câncer. Para se ter uma ideia o maior número de casos de câncer de intestino acontece no sul do Brasil onde se come muita carne. Essa relação não é por acaso.


Eu já sabia como havia crueldade nas granjas, machos sendo triturados vivos, galinhas amontoadas em pequenos espaços, tendo seus bicos cortados, recebendo antibióticos e uma infinidade de absurdos, mas os porcos... Você sabia que um porco tem uma inteligência de uma criança de 3 anos?


Eles vivem em jaulas tão pequenas que não conseguem nem se virar dentro dela, assim como os bezerros são alimentados da forma mais inatural possível para ganharem peso rapidamente e serem abatidos em tempo recorde, seus rabinhos são cortados sem anestesia pois o estresse é tão grande quando eles são filhotes que no amontoado eles comem os rabinhos dos amigos.


Ah e os porcos doentes são enterrados vivos em valas porque né, time is money, ou carne is money my friend. Para que respeito não é mesmo com um ser que está dando a sua vida para você se alimentar?


Carne de porco foi a segunda comida que parei de comer. Disse para o meu marido, não me traga mais nenhuma carne de porco. Não dava mais. Todos aqueles porcos sendo enterrados vivos...


"Em menos de 90 dias são abatidos mais de 1 bilhão de frangos no Brasil! Chegamos a essa quantidade assustadora porque as pessoas não param de comer carne. Se não houvesse mercado, não haveria abate. A responsabilidade não é apenas da pessoa que mata esses animais, mas de cada ser humano que os come." (Meira, José Gabriel Bloise de. Por que parar de comer carne? 2.ed, 2019)

Não entendia o que estava acontecendo comigo, mas todas aquelas informações foram me dando uma angústia até um dia que fui a uma churrascaria com meu pai e senti uma dor no peito muito forte. Passei o dia inteiro tentando entender o que estava me incomodando. Ah o incomodo, lembram? Ainda estão comigo? Espero que sim.


Por que eu senti tanta dor quando aquela cachorra morreu? Por que não sentia o mesmo com os bois? Você sabia que os bois e vacas são brincalhões e gostam de brincar com bola?


Bois e vacas formam vínculos emocionais fortes. Eles normalmente vivem em grupos grandes, e têm até mesmo preferência por alguns indivíduos do grupo, da mesma forma como nós temos nossos melhores amigos! Muitos desses vínculos são familiares. (Fonte: Merci for Animals)


imagem de mulher abraçando e fazendo carinho em vaca no Santuário Vale da Rainha

Foto tirada do site: Santuário Vale da Rainha


Você também sabia que todos esses animais sentem dor e medo? Para entender isso melhor você também pode assistir dois documentários que mostra como exploramos os animais de maneira que jamais tivemos real consciência.


Recomendo assitir Blackfish e Tyke Elephant Outlaw (Netflix).


Eu lembro do meu último prato. Era um ensopado de carne. Olhei pra carne, fui comendo só o molho e de repente aconteceu o que jamais tinha me acontecido antes, eu vi o animal ali. Seu sofrimento, aquela vida miserável. Naquele dia, era 03 de agosto de 2020, no meio da pandemia. Não consegui.


Então toda aquela angústia passou e eu entendi. Me senti tão leve e feliz. Meus exames de sangue nunca estiveram tão bem, até meu colesterol que é genético melhorou.


Se você resolver também aliviar a sua consciência e cumplicidade com a crise climática saiba que não será fácil no início, se for pela causa animal, o cheiro do churrasco e do frango assado na esquina um dia vai se tornar apenas mais um cheiro e a gozação e o julgamento que você sofrerá da família e dos amigos vai virar pena, pois você saberá o que eles não sabem. A cada árvore cortada, a cada nova enchente, a cada lágrima de uma mãe...


"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo como os animais são tratados" (Mahatma Ghandi)

ESTÁ FAZENDO SENTIDO. COMO FAZER ENTÃO?


Se tiver medo de cortar a carne por medo de lhe faltar proteínas, saiba que você encontra proteínas de sobra no feijão, lentilha, grão-de-bico, tofu, quinoa, ervilha, nozes e soja.


Se tiver muita nóia em relação à vitamina B12 e a Ômega 3 reponha como é o meu caso (ômega 3 vegana clara).


Encontre ferro no agrião, rúcula, espinafre, couve e brócolis ou qualquer vegetal de folha verde escuro, frutas secas como uva passa, coco seco e no feijão.


Para deixar as mamães vaquinhas em paz adquira cálcio com tofu, nozes, linhaça, grão de bico, brócolis, amêndoas, acelga, gergelim, abóbora, ameixa seca, feijão preto e branco, cereal matinal de milho. Você sabia que o leite de vaca não entra nem no top 10 dos alimentos que contêm mais cálcio?


Se tiver condições financeiras consulte uma nutricionista, isso te dará mais segurança para fazer sua transição alimentar e sim você pode e deve fazê-la aos pouquinhos.


Não a sua dieta vegetariana/ vegana não precisa ser sem graça. Fica aqui livros excelentes que prova que dá para comer sem carne com muito sabor e diversidade:



Se apenas uma pessoa que ler esse artigo se convencer que sim é possível tirar a carne da sua vida, que sim não podemos desrespeitar os animais da forma como a indústria está fazendo há anos e que sim precisamos cuidar do planeta para ontem pelo nosso próprio bem, então tudo isso já terá valido a pena.


E por fim deixo aqui uma pergunta: Por que nos preocupamos tanto com a qualidade da comida que ingerimos (da onde vêm, se é orgânico, qual os ingredientes etc.), mas não nos importamos se aquele animal que está no nosso prato sofreu para estar ali, se foi bem tratado? Por que?


Então eu acredito que todos devem ter o direito de decidir qual dieta seguir, no entanto, que escolham sabendo que seus hábitos, hoje, influencia o futuro das gerações futuras, ora, já está influenciando as nossas vidas.


Então você pode não gostar da dura realidade que é o consumo de carne, mas precisa e tem o direito de saber.


Não se trata mais de uma decisão individual, se trata de uma decisão que afeta o coletivo. A sustentabilidade rompeu fronteiras. Agora não é mais: a poluição de Cubatão afeta os moradores de Cubatão. Hoje o que é feito na China causa impactos enormes em diversas partes do planeta. É sobre isso. E sobre nós acima de muitos eus, acima de um prazer passageiro que está custando muito caro.


Mas é preciso coragem, coragem para enxergar essa dura realidade e, mudar. A questão é: você tem?


"Se os matadouros tivesse paredes de vidros, todos seriam vegetarianos" Paul McCartney
16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page